Sexta-feira, 14 de Outubro de 2005

Altum silentium

Ainda continua aqui um pouco de ti.
Um pouco do teu coração,
Das tuas mãos,
Do teu olhar.
Um pouco de ti,
Em todo o lado por onde possa olhar.
Mesmo quando as paredes param de cantar
O som da lua continua a brilhar
E as nuvens fazem crescer a saudade do Inverno.
E a saudade de estar perto das estrelas…
E as pedras e as folhas continuam a dizer
Para continuar a caminhar…
Mesmo quando a saudade bate forte
Nas maus de uma pequena criança…
São as estrelas que me dizem para não parar de acreditar.
E só quando o céu se fechar e o dia não luzir
É que poderei dizer que afinal partiste…
publicado por mithus às 12:11
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


.posts recentes

. O dia em que os anjos per...

. Para "The Perfect Woman"

. É a ausência do visível, ...

. A história da ponte dos a...

. Quero-te, numa noite de V...

. Somos um

. Luz da minha vida...

. Imaginarium of the ALIEnS

. ...oo00O...ALIEnS...O00oo...

. A rosa da tua vida

.arquivos

. Março 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

blogs SAPO

.subscrever feeds